Transmissões | De Forza Horizon 4 à Shadow of the Tomb Raider (Comentando)

— Capcom Beat ‘Em Up Bundle, Fortnite, Planet Alpha, Destiny 2 e SOULCALIBUR VI também estão nas escolhas desta semana.

A partir desta semana, e todo domingo (por ora), estarei trazendo aqui no site pequenos comentários a respeito das transmissões que estão sendo publicadas no nosso canal no You Tube, que está reunindo diariamente as transmissões que estão sendo realizadas lá no MixerCaso você tenha perdido essa novidade, saiba que abortei um pouco isso neste editorial.

Sei que boa parte destes vídeos vão retornar a aparecer aqui na página quando as respectivas análises destes jogos forem publicadas, mas em alguns casos isso pode levar um tempo. Fora que também acaba sendo importante reforçar e pedir a ajuda do pessoal que curte o Portallos para nos seguir por estes novos canais. Se você já o fez, muito obrigado.

E mostrá-los aqui, nesse formato, me permite falar um pouco sobre as primeiras impressões que estes games deixaram ou algo bem mais específico sobre aquilo que foi gravado. Enfim, é um novo formato e provavelmente ainda estou aprendendo como fazê-lo. A ideia é trazer aqui sempre os últimos sete vídeos publicados na semana em questão, mas como essa primeira edição, vou quebrar a regra para mostrar um pouco mais do que saiu no canal nestas últimas semanas, afinal já o alimentamos com aproximadamente mais de 30 vídeos. Vou escolher aqui alguns dos que achei mais legal e quero comentar a respeito de seus gameplays.

É claro que estes vídeos de longa duração não é de se esperar que os interessados os assistam por inteiro. O legal destas transmissões gravadas é que você possa zapear por alguns momentos. Se atentar nos momentos em que achar interessante e pular nos momentos em que estiver meio parado (ou eu estiver jogando incrivelmente mal).

Forza Horizon 4 | O início, da primavera ao outono
Publicado no YT em 28 de setembro — Duração: 1h36m

Publicado no mesmo dia do lançamento da versão Ultimate (a versão normal sai dia 2 de outubro) este é o início da campanha de Forza Horizon 4. Basicamente é também o que a demonstração gratuita do jogo ofereceu algumas semanas atrás. Não gosto quando demos fazem isso, de mostrar o começo oficial de um game antes mesmo dele vir a ser lançado, porém entendo que este é também uma boa introdução ao mundo de Forza Horizon 4.

No mais, Forza Horizon 4 está bonitão. Claro que alguns de seus aspectos são exatamente o que se espera da série. Há muitos do mesmo, mas a sensação é de que o que era bom nas edições passadas está ainda melhor nesta edição. Controles ainda mais apurado, visuais mais detalhistas, o clima do festival ainda é empolgante. É a mesma experiência, mas também não é. Acaba sendo melhor. Fora que é um intervalo de dois anos entre o antecessor direto, já que Horizon se reveza com a série Motorsport.

Esse começo apresenta os diversos tipos de disputas e cenários presentes no jogo, enquanto também vai liberando o mundo aberto aos poucos. Já em relação as estações, já dá para entender que elas também estão sendo apresentadas aos poucos. O jogo começa na primavera e é preciso disputar alguns eventos até a chegada do outono. E aí, quando o jogo lhe apresenta a mesma pista jogada na primavera, porém na estação do outono, dá realmente para notar uma sensação diferente ao jogá-la. Ficou muito legal isso.

Estou aliviado que finalmente acabou essa febre xarope que rolou nos últimos anos com os exclusivos da Microsoft com relação a microtransações em modelo de cartinhas de itens. Não há nada disso em Forza Horizon 4. Amém. Por fim, recomendo dar uma olhada no final do vídeo, bem no fim mesmo, onde é realizado uma daquelas corridas malucas da série, onde o jogador precisa competir contra um Hovercraft gigante. É animal!

Capcom Beat ‘Em Up Bundle | Explorando os sete jogos do pacote
Publicado no YT em 18 de setembro — Duração: 1h19m

Também publicado no mesmo dia de seu lançamento, no vídeo estou eu e o pequeno Thales fazendo uma viagem por todos os setes jogos da coletânea Capcom Beat ‘Em Up Bundle. Foi uma viagem ao passado dos jogos de Briga de Rua. Admito que fiquei ansioso para saber se o Thales iria gostar destes joguinhos, afinal o que já havia apresentado à ele foram jogos modernizados desse gênero, como Castle Crashers e Scott Pilgrim. E ele se divertiu, não tanto quando os jogos citados, mas acho que o fato de estar jogando comigo deu um ânimo extra.

Há pequenos momentos em que rimos bastante, como o fato do Final Fight tem o “fogo amigo” onde um podia bater no outro sem querer. Sofremos um pouco com isso. Nos jogos medievais também achamos engraçado o fato de não sabermos virar o cavalo e acabar usando-o com o bicho andando de ré mesmo. Já os jogos inéditos no ocidente foram o melhor pra mim. Estes estão ao final do vídeo. Armored Warriors é um beat ‘em up com robôs gigantes, enquanto Battle Circuit é um que nem sei dizer qual é seu tema, de tão bizarro que é. Entender a sua história então… rá! Mas ambos são igualmente diferentes do que se espera de um briga de rua mais clássico. Certamente são ótimas adições ao pacote.

Fora isso há todo um capricho por parte da Capcom idêntico ao aplicado em todas as atuais coletâneas de clássicos. Tem o museu com artes raras do tempo de desenvolvimento, além de uma preocupação de fazer com que estes jogos sejam menos frustrantes do que era em suas versões originais para os bons e saudosos fliperamas. Nada de gastar ficha aqui. Os jogos salvam onde o jogador quiser e há vidas e continues a vontade, o que evita a repetição esgotante das fases iniciais que tornava raro os jogadores das antigas verem os últimos níveis destes jogos. Aqui não. Dá para jogar tudo do começo ao fim sem ter essa preocupação. Foi uma tarde divertida com meu pequeno em Capcom Beat ‘Em Up Bundle.

Fortnite | Defendendo a Van no Modo Salvando o Mundo
Publicado no YT em 25 de setembro — Duração: 39 minutos

É muito louco pensar que hoje em dia podemos ter partidas de jogos em multiplayer que levem entre 30 a 50 minutos para serem concluídas. Nos primórdios dos jogos online, o normal eram que partidas online segurassem os jogadores por no máximo 15 a 20 minutos. Enfim, aqui o que apresente é uma partida da modalidade Salvando o Mundo em Fortnite.

Esse é aquele mosto de acesso antecipado pago, lançado ano passado e que vem recebendo constantes atualizações. A Epic Games promete que quando o jogo estiver pronto para seu lançamento, essa modalidade será disponibilizada a todos de forma gratuita, porém com microtransações para aqueles que quiserem pagar por alguns itens que existem dentro do jogo. Como pacotes de recompensas sortidas, acredito. Enfim, ainda não há nada muito certo, pois há que se esperar tal momento chegar. Por enquanto há apenas o feedback proporcionado pela comunidade no fórum oficial do jogo sobre como está sendo esse período de seu desenvolvimento.

Não tenho a pretensão, nesse momento, de fazer uma nova impressões de Fortnite, mas fiz esse vídeo porque um leitor lá do nosso Grupo no Facebook pediu (abraços André). Então nada mais justo do que atender. Quem mais quiser me ver jogando alguma coisa que ainda não tenha mostrado, é só se juntar a conversa. Tem aqui o espaço de comentários, tem lá o Grupo, nossas redes sociais e afins. Locais para vir conversar comigo não faltam.

Fora que muita gente joga Fortnite na opção Battle Royale, que já é totalmente gratuita. Admito que não sou tão fã assim dessa modalidade, gostando muito mais desse modo Salvando o Mundo, que tem um apelo mais single player, enquanto mescla com bons momentos de cooperação de jogadores online. Na verdade é um modo jogadores versus ambiente, já que normalmente todos devem cumprir objetivos, enquanto ao final da modalidade temos que defender um ponto do mapa contra uma horda de zumbis. É bem mais legal. Tem o momento de exploração, de pequenos objetivos, de construir coisas (e armas e munição) e ao fim todo mundo se reúne para acabar com a Horda. No vídeo abaixo mostro apenas uma única (longa) partida, mas há outras nesse modo que não seja apenas reunir BluGlo e defender a Van de Lars. Futuramente penso em mostrar mais Fortnite lá no canal. A Temporada 6, por sinal, acabou de começar…

Planet Alpha | O início – Fuja dos robôs assassinos
Publicado no YT em 20 de setembro — Duração: 23minutos

Jogos independentes também fazem parte da rotina lá de nossas transmissões. E a tendência é sempre mostrar cada vez mais deles, na mesma proporção na qual também escrevemos diversas análises sobre esse segmento do atual mercado de games. Já temos uma pequena variedade no canal, assim como uma playlist própria.

E um que gostei bastante de jogar (e transmitir) e que pretendo soltar sua análise já nos próximos dias é de Planet Alpha. Trata-se de um game que segue um estilo um tanto semelhante à Limbo, porém com o diferencial de que sua ambientação explode em riqueza de cores e detalhes. As camadas de ambientação ao fundo da atmosfera do jogo é hipnotizante. É uma experiência incrível jogá-lo.

Atualmente já estou em um ponto mais avançado da que mostrado no vídeo de 20 minutos abaixo. Não queria mostrar muito do game porque a graça está realmente em descobrir mais sobre esse mundo e seus detalhes. Mas o jogo se mantém exatamente como mostrado em seu início, com alguns desafios maiores em que o jogador não deve ser descoberto pelos robôs ou em alguns puzzles com objetos. Ainda não terminei, mas espero fazê-lo já nos próximos dias.

Para quem é fã desse estilo de jogo, tal qual Limbo e Inside, Planet Alpha é altamente recomendado. Inicialmente até achei que ele seria mais um jogo de plataforma e de andanças sem muitas ameaças, então foi meio que uma surpresa encontrar tantos inimigos querendo meu pescoço. Gostei, ainda que tenho algumas ressalvas de como segura um pouco o desenrolar narrativo da história. Entretanto isso fica para se discutir depois, quando publicar suas impressões.

Destiny 2: Renegados | Tomando surra na Bandeira de Ferro
Publicado no YT em 19 de setembro — Duração: 40 minutos

Em breve deve trazer no site as impressões completas de Destiny 2: Renegados. Deve dizer que a Bungie caprichou nesse relançamento do jogo (mal dá para dizer que é uma mera expansão, é bem mais que isso). Enquanto isso tenho mostrado um pouco de suas novidades lá no canal. Pretendo fazer um novo vídeo do Modo Artimanha, enquanto também já mostrei um trechinho emocionante da nova campanha.

Entretanto o que foi mais divertido na última semana (não esta, a anterior) foi a nova Bandeira de Ferro. Acredito que finalmente a Bungie acertou no ponto em que eu tanto desejava para o PvP (player versus player), especialmente na Bandeira de Ferro, onde o desbalanceamento dos jogadores faz parte da experiência e da graça. A surra que tomei no vídeo abaixo, por estar no nível 43 enquanto boa parte dos jogadores já tinham atingido o nível 50, foi incrível. Mas não estava nessa para ganhar. Queria mesmo é testar o Arco, que é uma das novas armas do jogo, assim como ver as novas Super Habilidades de cada classe de Guardião, enquanto aprendia a usar a minha nova Super Habilidade de Titã. Sensacional.

O vídeo foi gravado no comecinho da semana em que aconteceu a Bandeira de Ferro. Depois de alguns dias subindo de nível e melhorando meus equipamentos, justamente no último dia da modalidade, voltei a transmitir mais algumas partidas com meu Guardião. A vitória veio e achei que estava jogando um pouco melhor, mas ainda assim o time estava bem dessincronizado em algumas partidas e a derrota acabou acontecendo. Faz parte, o mais legal é mesmo se divertir, e de fato eu estava me divertindo bastante. A minha (quase) revanche na Bandeira de Ferro pode ser assistida aqui.

SOULCALIBUR VI | Testando todo o elenco do Beta
Publicado no YT hoje, 30 de setembro — Duração: 1h20m

Esta rolando no final de semana de publicação desta postagem o Teste de Rede de SOULCALIBUR VI, então não poderia deixar de postar nesta data a transmissão que fiz ontem à noite testando todos os personagens que estão presentes no beta. Imagino que no jogo a ser lançado no dia 12 de outubro haverão outros, que até mesmo já foram revelados, como Raphael Sorel e Cervantes. Mas o elenco do beta é bem grandinho, são 16 personagens para teste, incluindo aí o Geralt de Rívia, da série The Witcher.

Surra também é uma boa palavra para classificar o quanto mandei mal nestes partidas. De dezesseis, ganhei apenas três. Rá! Mas para ser justo (ou não), a transmissão mostra realmente o meu primeiro contato com o jogo. E infelizmente o game não é muito simpático ao não me dar um modo de treino ou sequer explicar exatamente os comandos e botões do jogo. Tive que aprender na raça, já que faz séculos (em anos gamer) que joguei SOULCALIBUR V. Mas novamente, ao final do vídeo, tenho pra mim que já estava jogando melhor do que nas primeiras partidas. Assim quero acreditar.

No geral foi divertido. Achei SOULCALIBUR VI bem semelhante ao seus antecessores, com uma ou outra novidade, como os golpes especiais e comando que dá uma ação em câmera lenta, que me lembrou um pouco aqueles confrontos diretos que ocorrem nas versões mais recentes de Injustice e Mortal Kombat da NetherRealm. É uma boa adaptação dessa ideia.

Quanto a estabilidade de conexão para as partidas online isso ainda há que se aprimorado, e o propósito desse Teste de Rede é justamente para que os desenvolvedores deem uma olhada nisso antes do lançamento do jogo em 12 de outubro. A Bandai Namco, alias, tem apanhado bastante com estabilidade de redes e servidores em 2018. Dragon Ball FighterZ passou por isso no começo do ano (mas agora já está okey) e Naruto to Boruto: Shinobe Striker tem sofrido bastante com isso (tem vídeo do modo online lá no canal, por sinal). Ao menos aqui, em SOULCALIBUR VI, deu para jogar online. De todo o tempo de transmissão, sem nenhum corte, somente uma partida foi interrompida e todos os erros de rede sumiram depois de alguns minutos tentando novas conexões. Não foi preciso reiniciar o game nenhuma vez e o mesmo não crashou. Menos mal.

Por fim, se você está lendo isso no domingo de sua publicação, corra na Microsoft Store ou na PlayStation Store e baixe o Teste de Rede de SOULCALIBUR VI (3,18GB) que ainda dá tempo de jogar algumas partidas online ainda hoje. Amanhã, dia 1 de outubro, já não será mais possível. Corre!

Shadow of the Tomb Raider | O início de uma nova aventura
Publicado no YT em 17 de setembro — Duração: 1h21m

Por último, mas não menos importante, e como o título da postagem sugere: Shadow of the Tomb Raider. Alias, neste ponto em que escrevo isto aqui, já estou em um momento bem mais avançado do game. Cheguei inclusive a transmitir uma segunda parte do game, mostrando como é o primeiro segmento com a Lara criança, seguindo um trecho da sua infância. Está lá no canal.

Mas o vídeo que escolhi para este post é realmente do início do jogo, que é bem legal e reapresenta muito bem esse universo da nova série de Tomb Raider, iniciado lá em 2013. É o fechamento de um ciclo, e apesar de ter ouvido algumas críticas a respeito de ser mais um game com a mesma fórmula dos dois jogos anteriores, eu particularmente não tenho do que reclamar. É exatamente aquilo que esperava, mas melhor balanceado.

Gosto que haja menos foco em combate com armas de fogo, algo que o segundo game me desanimou bastante em certo momento de sua experiência, e mais focado na aventura e história. É uma boa evolução da personagem da Lara, enquanto trabalha bem sua amizade com Jonah. Porém gosto como há essa nova mecânica em que Lara pode se esconder nas paredes com folhagens, trazendo uma nova dinâmica a ideia da cobertura lateral, ao menos enquanto ela não é detectada por inimigos.

Ainda não quero afirmar isso com todas as letras, pois ainda estou na jornada por sua conclusão, mas a impressão que tenho, nesse meio caminho, é que Shadow of the Tomb Raider é o que se vê nesse vídeo. É uma experiência bem similar aos jogos anteriores, com algumas novidades menores que refinam suas mecânicas, e isso não deveria, tecnicamente, soar como um problema. Não vejo, no ponto em que a série se encontra, como ela reveria se reinventar em relação aos dois jogos anteriores.

Enfim, isso é um bom ponto para se refletir um pouco mais e abordá-lo com mais argumentos quando estiver pronto para publicar suas impressões aqui no site. Mas ainda estou a meia caminho andando, então não se assiste se ainda fizer mais uma ou duas transmissões do game antes disso acontecer.

E por hoje é isso! Na próxima semana, mais comentários em torno dos próximos vídeos de gameplay publicados lá em nosso canal no YT. Tem saído vídeos TODOS OS DIAS por lá, enquanto que no Mixer há alguns mais, dependendo do dia em que posso fazer mais de uma transmissão. Então dá para saber de antemão o que vai sair no You Tube se vocês espiarem o que estou transmitindo no Mixer. E se quiser dar uma ajuda com toda a bondade do seu coração, não deixe de se inscrever nestes nossos novos canais! Desde já deixo meu muito obrigado a todos que puderem fazer isso.

Curte do nosso conteúdo? Saiba que é possível ajudar o Portallos!
Siga-nos em nossas redes sociais: Facebook | Twitter | Instagram
(Novidade) Estamos começando, dê uma força: YouTube | Mixer
— Entre e participe do nosso Grupo de Leitores no Facebook!
Seja um apoiador no Apoia.se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!
More from Thiago Machuca

Infos Viva Pinata: Trouble Paradise (Xbox 360)

Informações já confirmadas sobre o novo game: – 32 novas pinatas. Eu...
Read More