Top 30 | Quais desenhos deveriam estar na Netflix?

Avaliando 2012 até agora a Netflix expandiu exponencialmente seu catálogo de desenhos animados. E parando pra pensar o serviço ainda é uma novidade no país. Somente este mês é que completou 1 ano por aqui. Mas dá pra dizer que de julho pra cá, as novidades na área das animações meio que diminuiu consideravelmente a ponto de sentir falta de novidades nesse departamento. E não estou falando de filmes (longa-metragem) para crianças. Falo de desenhos animados por meio de séries, distribuida por episódios.

Pra mim a área de desenhos é uma das melhores vantagens em pagar pelo serviço. Faça um paralelo a TV Paga, onde os canais de desenhos animados estão sempre no topo dos índices de canais mais assistidos pelo serviço. 90% das vezes que a Sky está ligado em casa, ela está sintonizada no Cartoon Network por exemplo. Porque filmes velhos a gente acha fácil na TV e com um pouco de empenho também na internet. Filmes novos são ainda mais fáceis na internet, com áudio original e legenda. No caso de séries, muitas das que chegam no catálogo da Netflix são séries que muitos já assistiram pau a pau com os Estados Unidos. Claro que para tudo há exceções, muitos que carecem de uma banda larga legal pra baixar muito conteúdo, e até mesmo que não tenha muita habilidade pra arquivos de legendas ou codecs pra ficar acertando os vídeos no PC. Nesse ponto a Netflix é uma vantagem, dá pra ver na TV, não tem trabalho com arquivos ou espaço dentro do computador. É prático, isso é verdade.

Mas melhor do que isso são os desenhos animados. Desenhos antigos e clássicos não são fáceis de se achar na internet. Talvez você os ache em inglês, mas perde a magia sem nas nossas clássicas dublagens. O mercado de Home Video para desenhos também não é dos melhores por aqui, pois pouca coisa é lançada e muitas vezes sai por aqui de forma mutilada e incompleta. Uma lástima. É diferente dos animês, que você encontra pela internet com áudio original e legendas em português e são a preferência da base de fãs. Mas mesmo assim muitos sentem falta de um Dragon Ball, Yu Yu Hakusho ou até mesmo Sakura Card Captors em português, já que são séries que muitos conheceram dublados quando chegaram por aqui nos anos 90. Quando você encontra desenhos clássicos da TV aqui, ou é no You Tube ou tem aquela qualidade TV-Rip que é meio “argh”.

Enfim, outubro é o mês das crianças. Já estava pensando nisso desde a semana passada. Será que a Netflix traria alguma novidade na área dos desenhos no dia das crianças? E ontem recebi um comunicado no e-mail do Portallos com o serviço dizendo que a grande atração de outubro pra criançada seria um filme da Turma da Mônica. E não um daqueles clássicos, como da estrelinha ou do robô coelho (lembram?), mas um recente: Turma da Mônica em uma Aventura no Tempo.

Pow Netflix… sério que isso é tudo que você tem pra criançada e pros adultos, como eu, que adoram desenhos animados? Nada contra, mas um serviço que tem contratos com Fox, Sony, Disney e Nickelodeon poderia trazer muito mais. Todo mês deveriamos ter uma série animada nova no serviço, no mínimo!

Vamos relembrar os melhores desenhos que chegaram na Netflix em 2012?

Janeiro: MiB – Homens de Preto – A Série Animada
Fevereiro: O Espetacular Homem-Aranha e Wolverine e os X-Men
Março: As Aventuras de Jackie Chan + porrada de animês (além de O Mundo de Beackman)
Abril: Luluzinha e Jumanji
Maio: Invazor Zim, Bob Esponja e Spider-Man Unlimited
Junho: Nada…
Julho: The Avengers: Earth’s Mightiest Heroes e Ninja Turtles Next Mutation
Agosto: Nada…
Setembro: Nada…

Deu pra perceber que as atrações em séries animadas deram uma caída agora no segundo semestre, não? Isso sem mencionar os animês. Mas sobre estes irei comentar num post a parte muito em breve por aqui.

Aí fica a dúvida. O que o Netflix poderia estar agregando ao seu catálogo de desenhos? Fiz uma listinha a seguir que coloca algumas sugestões. Estarei encaminhando o link dessa matéria ao serviço, então aos que gostaram da ideia, deixem suas sugestões também nos comentários, repassem esse link no twitter e no facebook do serviço.

A lista abaixo tem como base desenhos animadas que ou sei que são dos estúdios na qual o Netflix tem contrato ou desenhos que não faço ideia de quem são os direitos de exibição. Então não estão na lista desenhos da Time Warner, Hanna-Barbera e Cartoon Network Studios que atualmente são tudo farinha de um mesmo conglomerado. Mas certamente é um pesar que a Netflix não tenha contrato com esses estúdios (ao menos para desenhos), pois eles são praticamente a alma da animação. Pernalonga, Scooby-Doo, Flintstones e Zé Colméia lamentam…

1 – Clássicos de Mickey & Cia

Um contrato com a Disney, dona do camundongo mais famoso do mundo e os desenhos clássicos do Pateta, Mickey e Donald não estão no catálogo. Como pode isso? Série de curtas animados que são exibidos ao longo de décadas para a infância de todo brasileiro. Hoje em dia estão um pouco esquecido no tempo. Esse material deveria ser conteúdo obrigatório no Netflix. Além dos clássicos, também deveriam estar no catálogo O Point do Mickey (2001-2003 – 52 episódios) que tinha essa vibração dos curtas animados antigos.

2 – Sonic X (2003-2004 – 78 Episódios)

A Netflix já tem em seu acervo duas séries do ouriço: Sonic The Hedgehog e Sonic Underground. Tudo bem que a Underground é muito, mas muito ruim, mas a série clássica é o maior barato. Sonic X foi uma das últimas produções com o personagem e na época em que saiu fez um sucesso de se elogiar. Lembro de que passou no Brasil pelo Jetix, que era um canal da Fox. Lá fora também saiu em canais da Fox. Não sei se ela ainda tem os direitos da série, mas como já existem desenhos do Sonic no serviço, certamente não deveria faltar Sonic X…

3 – A Vida Moderna de Rocko (1993-1996 – 52 Episódios)

Um clássico da Nickelodeon. Admito que quando criança não entendia muito bem todas as referências do desenho, mas depois conforme a adolescencia foi chegando, entendia muito melhor certas piadas e pérolas da série. Tem um ar bem nonsense, que depois o criador da série (Joe Murray) voltaria usar em O Acampamento de Lazlo, produção do Cartoon Network. Rocko meio que foi predecessor de Bob Esponja na minha opinião. Muita coisa do sem noção que Bob Esponja mostrou depois eram coisas que os fãs de Rocko já haviam visto no desenho de Murray.

4 – Doug (1991-1994 e 1996-1999 – 117 Episódios)

Olha só a Netflix tem atualmente contrato com a Nickelodeon e Disney. Recentemente também fechou contrato com a TV Cultura. E justamente a TV Cultura que fez a alegria de uma galera nos anos 90 com a exibição de Doug. A produção teve duas fases, a clássica feita justamente pela Nickelodeon e depois o desenho foi comprado pela Disney em 1996 na qual ganhou algumas roupagens novas. Particulamente sou fã da fase clássica de Doug, com a Patty Maionese com cabelos longos e tal, mas vi muito também da versão da Disney no saudoso Disney Cruj.

5 – As Aventuras de Tintim (1991-1992 – 39 Episódios)

Falando em TV Cultura, olha aí outro clássico dos anos 90 e que continua sendo exibido até os dias de hoje acredito. Um desenho que não envelhece nunca na minha opinião. Com todo o sucesso do filme em CGI ano passado, é até de se admiriar que ninguém tenha relançado a série animada em DVD por aqui, muito menos que a Netflix não tenha rebolado pra conseguir pra gente os episódios em seu catálogo. Atualmente não sei quem tem os direitos de exibição, então fica aquela dúvida “será possível disponibilizar?”.

6 – Darkwing Duck (1991-1992 – 91 episódios)

Temos Ducktales completinho na Netflix, mas não tenhos um único episódio do sucessor (ao menos na época) de Ducktales na TV. A bem verdade é que talvez Darkwing Duck não tem o apelo que o Tio Patinhas tem até hoje, mas ainda assim a série animada de DW é o máximo. Ano passado tive a vontade de conferir alguns episódios da série, porém não encontrei ela dublada. Posso afirmar que em inglês ela não tem nem metade da graça que a mesma possui na nossa clássica dublagem. Precisavam trazer de volta esse personagem a cada entrada em cena dizia pérolas como “Eu sou o terror que voa na noite, eu sou a unha que raspa a sujeira da sua alma. Eu sou Darkwing Duck!”

7 – Bonkers (1993-1994 – 65 Episódios)

Ainda falando em Disney, esta série eu acredito que muitos não devem ter vistos ou vão se lembrar. Passou por um curto período de tempo no SBT nas manhãs de sábado, mas particularmente eu adorava. Não acredito que seja coincidência que Bonkers lembre muito Rogger Rabbit, talvez na época a Disney quis usar o coelho do filme e criou um personagem parecido. Só sei que as aventuras policiais do desenho eram fenomenais e brincava muito com essa coisa de humanos e desenhos animados vivendo num único universo.

8 – O Fantástico Mundo de Bob (1990-1998 – 81 Episódios)

Posso estar enganado, mas esse é outro clássico que pertence a Fox. Quem não se lembra desse desenho que passou por anos e anos no SBT? Um dos clássicos mais clássicos!

9 – Eek! The Cat (1992-1997 – 63 Episódios)

Esse eu me lembro que o pobre Eek sofria, mas sofria muito em cada episódio. O personagem só se dava mal! Outro desenho que passava nos canais de desenho da Fox antigamente.

10 – Garfield & Seus Amigos (1988-1994 – 121 Episódios)

Atualmente o Garfield tem uma série animada nova, feito em CGI. Particulamente eu não gosto muito, ainda acho a clássica muito melhor. É verdade que nunca fui muito fã dos episódios da Fazendo do Orson, mas gostava muitos das histórias com o Garfield. Sendo que muitas eu reconhecia por trechos de tirinhas clássicas. Esse é um desenho que de vez em quando passa no Cartoon Network, então não sei se a Netflix conseguiria os direitos, mas saiu alguns anos atrás no Brasil em DVD (o primeiro ano) pela Fox. Então acredito que não seja um desenho que seja exclusivo do grupo Warner.

11 – A Turma do Pateta (1992 – 79 Episódios)

Mais um clássico dos tempos de Disney Cruj. Alias acho um pecado também o filme que deu origem a série não estar no catálogo da Netflix. Pateta – O Filme é uma das melhores produções que a Disney já conseguiu criar com um personagem tão antigo e clássico. Uma abordagem que ninguém esperava na época. O Pateta com um filho, quem diria? E acredito que hoje em dia a galerinha mais nova nem conheça direito o Max. Por sinal há outros clássicos do Disney Cruj que ficaram de fora da lista, mas certamente merecem entrar no catálogo, como TV Quac (com o Donald e sobrinhos crescidos) e Superpatos.

12 – Super Mario Bros Show (1989 – 65 Episódios)

Difícil descobrir quem tem os direitos desse desenho no Brasil. Super Mario Bros nunca foi uma animação fácil de se ver na TV. Mas eu me lembro que quando criança ficava doido para assistir sempre que podia. É uma animação com o selo da Cookie Jar, que tem muitos clássicos nos Estados Unidos e existem alguns desenhos da Cookie Jar no Netflix Brasil (como Luluzinha). Fica a dúvida e o enorme desejo de ver esse desenho novamente. Além das outras sequências que vieram depois, baseadas em Mario Bros 3 e Mario World. Faria um belo contraponto no catálogo da Netflix ao lado do Sonic.

13 – Mega Man (1994-1995 – 27 Episódios)

Esse é um desenho que já cansei de sugerir no Netflix, mas nunca tive resposta sobre o mesmo. Seria problema de direito de exibição? Seria problema com arquivos de áudio? Sim, porque não basta que a Netflix tenha contrato, é preciso os vídeos e arquivos de áudio em português em boa qualidade de muito das animações dessa lista. E vale lembrar que em tempos de Tvs de alta definição, não é difícil imaginar porque muitos estão esquecidos no tempo. Claro que tantos outros no entendo poderiam facilmente entrar no catálogo, pois foram lançados lá fora em DVD, então tem imagem em qualidade, só precisaria correr atrás dos arquivos de áudios em PT-BR (como Darkwing Duck).

14 – Godzilla The Series (1998-2000 – 40 Episódios)

Um desenho que me recordo quando era exibido no Cartoon Network, fazendo dobradinha com MiB – Homens de Preto. E é do mesmo estúdio que fez MiB, assim como Jumanji. Se estes dois estão no nosso Netflix, porque não trazer tambem essa série do Godzilla? No Netflix americano tem essa série. E ela era bem divertida, e com um visual de qualidade. É baseada no filme americano de 2000, que muitos acham uma afronta ao Godzilla original japonês, mas particularmente acho um filme pipocão show de bola.

15 – A Família Dinossauro (1991-1994 – 65 Episódios)

Bem, esta série não é bem uma animação, mas era exibida com louvar nas manhãs infantis do pequeno brasileiro, no meio dos desenhos animados. É uma produção voltada para o público mais novo, ainda que facilmente se encontrava adultos que adoravam o live-action com Dinossauros. A série tinha muitas sátiras e críticas sobre a vida moderna do homem. E a produção pertence a Disney, o que significa que poderia com algum esforço, aparecer na Netflix…

16 – Street Fighter II – Victory (1995 – 29 Episódios)

Engraçado que existem alguns desenhos que no passado eram difíceis de indentificar como animês. Existiam desenhos que era produzidos por estúdios japoneses, mas pensando no público americano. É por isso que na lista desta matéria temos produções como Mega Man, Sonic X e essa série em particular de Street Fighter que passou por algum tempo no SBT e deixava muita gente ligadão no canal do Silvio Santos. Esse desenho pertence então a uma época em que ainda não fazíamos muita distinção do que era animê e o que era um desenho animado americano, apesar de que eram óbvios os estilos e formato de show. Street Fighter II pra mim fica no meio do muro entre estes dois mundos. Por isso o coloquei aqui, nesta lista.

17 – Homem Aranha (1994-1998 – 65 Episódios)

Já tem na Netflix 3 séries com o Homem Aranha. A Espectacular, que na minha opinião é uma das melhores da última década, a Unlimited que é bizarrísssima com aquele Peter Parker na dimensão dos animais e uma em CGI de 2003 que ninguém realmente se importa. Mas uma das melhores e maiores séries animadas com o Homem Aranha não está no catálogo. Spider-Man The Animated Series produzida nos anos 90 é até hoje genial. Porque diabos isso ainda não despencou no Netflix? Vai entender… e de quebra, deveriam trazer aquela série dos X-Men da mesma época…

18 – Tico & Teco e os Defensores da Lei (1989-1990 – 65 Episódios)

Mais uma produção Disney da época de Ducktales. Lembro de que era amarradão nessa série quando criança e até hoje acho incrível como a Disney conseguiu criar esse universo tão bacana usando dois esquilos que geralmente eram codjuvantes dos curtas clássicos atazando o Pato Donal e o Pluto ocasionalmente. Deram um outro nível ao Tico e Teco. Depois dessa animação nunca mais vi os esquilinhos disneyanos da mesma forma. Um desenhos totalmente pegado na ação e aventura. Fazia um par bonito com Ducktales.

19 – Esquadrilha Parafuso (1990-1991 – 65 Episódios)

E mais um clássico da Disney da mesma época do desenho acima. Época das grandes animações de aventuras, de tesouros, de heróis e vilões. E também uma outra roupagem e abordagem ao urso de Mogli. Você nem imagina que esse desenho tem alguns personagens que inicialmente são vistos longa do Mogli. Esquadrilha Parafuso naquela época não era um dos meus favoritos, pois havia uma concorrencia com outras produções da casa, mas depois com o tempo soube ganhar minha simpatia e ganhou um lugar na minha memória dos tempos de infância.

20 – Os Simpsons (Desde 1989 – Ultrapassou 500 episódios…)

Aqui cabe uma observação. De toda a lista sugerida aqui Os Simpsons talvez seja a única opção que não seria uma animação propriamente voltada ao publico infantil. Mas eu não nego que via muito a família laranja quando criança, já na adolescencia. Isso porque os primeiros anos da série eram mais simples, menos adulto e com piadas mais pastelonas. Com o tempo Os Simpsons deu uma crescida, trouxe temas mais adultos e perdeu um pouco da simplicidade dos primeiros anos. Mas o caso é que a Netflix faz um contrato com a Fox mas não disponibiliza a sua maior produção de todos os tempos? Bizarro. E na onda dos Simpsons, acredito que Futurama é outra série que se daria muito bem no serviço. Mas quanto aos Simpsons, não é de se admirar que a Fox talvez não tenha liberado a série no Netflix, afinal são muitos episódios mesmo. Porém ficaria feliz se ao menos umas 3 ou 4 das temporadas iniciais pudessem serem vistas cronologicamente na Netflix. Os primeiros anos não são tão frequentes assim nas reprises diarias da Fox na TV por Assinatura. Se bem que nem South Park chegou a Netflix de forma correta (com seus primeiros anos).

21,22,23 – Disney Séries Animadas de Filmes (Aladdin, Pequena Sereia, Timão e Pumba)

Acho que não preciso explicar muito aqui. Clássicos. Séries que vieram depois dos longas de sucesso e que fizeram a alegria de muitas crianças nas manhãs da TV aberta, quando VHS não era algo que se alugava ocasionalmente e não tinhamos DVDs para colecionar os clássicos Disney e as fitas cassetes eram carinhas e raras. E não botei na lista, mas acho que as séries animadas do Hércules e do Tarzan (ambos da Disney) também poderiam estar dentro dessa minha lista.

24 – Os Smurfs (1981-1989 – 256 Episódios)

Os Smurfs tem uma parada complicada. Originalmente eles são uma produção da Hanna-Barbera. Mas será que os direitos de exibição do desenho dos anos 80 pertence ao grupo Warner? Se sim, certamente não tem como vê-los no Netflix nesse momento. Mas o caso é que o recente filme dos Smurfs foi uma produção da Sony, e os DVDs de desenhos que chegaram no mercado brasileiro ano passado não sairam pela Warner, então talvez haja alguma chance de ver Papai Smurf e  cia no serviço.

25 – Tartarugas Ninjas (1987 – 1996 – 193 Episódios)

Esta é uma outra produção que levanta minhas dúvidas quem atualmente tem os direitos de exibição no Brasil. Recentemente a Nickelodeon comprou os direitos das Tartarugas Ninjas nos Estados Unidos, mas será que os desenhos clássicos também pertencem também a Nick? De toda forma, com o retorno das Tartarugas no final do ano em CGI pelo canal, com tantos rumores sobre um futuro filme da franquia nos cinemas, é um bom momento pra Netflix correr atrás do material clássico. E quem sabe também da série animada de 2003, que é excelente também. Mas ainda prefiro as Tartarugas Trapalhadas do pastelão desenho dos anos 80/90.

26 – Os Caça Fantasmas (1986 – 1991 – 147 Episódios)

Outra produção que não saberia dizer quem detém os direitos no Brasil. O filme é da Columpia Pictures. Mas é uma série que rodou alguns canais por aqui. Se a TV aberta conseguiu, a Netflix não conseguiria? Pra mim é graças ao desenho animado que a franquia Ghostbusters conseguiu uma longevidade além seus dois filmes para o cinema. Se até hoje pensando na franquia, parte da culpa é da série animada na minha opinião. O Geléia na TV era realmente impagável. tanto que anos depois ganhou uma série solo, que apesar de não ser tão bacana quanto o original aqui citado, ficou na minha memória.

27 – Muppets Babies (1984 – 1991 – 107 Episódios)

Um clássico do SBT. Exibido há exaustão por anos e anos. Não é um desenho que talvez revesse hoje em dia, mas certamente é um clássico. Da Disney por sinal. Acredito que envelheceu mal, mas será que a criançada mais novinha de hoje em dia não iria curtir? Me parece muito melhor do que muita coisa produzida pra esse publico mais novinho hoje em dia…

28 – A Caverna do Dragão (1983-1985 – 28 Episódios)

Nunca fui fã pra dizer a verdade, mas verdade seja dita, é uma produção que virou cult na internet e tem uma legião de fãs não só no Brasil, mas em todo o mundo. E nem faço ideia de quem são os direiros de exibição. Uma série curtinha, que saiu em DVD lá fora, o que significa que tem em boa qualidade de imagem. Só falta boa vontade pra colocar no catálogo.

29 – O Máskara (1995-1997 – 55 Episódios)

Ih, essa série, assim como a do Ace Ventura (que também é excelente) eu tenho quase certeza que não tem como, mas resolvi fazer a sugestão assim mesmo. Digo isso porque o filme e o desenho é da New Line, que segundo me consta é uma das ramificações do grupo Warner. Mas sei lá, não custa sonhar. Aqui no Brasil muitas vezes um desenho é licenciado por outro estúdio e acaba então facilitando a liberação dele pra alguma exibição. Mesmo assim é um desenho realmente hilário e que com o tempo acabou esquecido no tempo, enquanto o filme de vez em quando acaba sendo reprisado por aqui e ali.

30 – Beetlejuice (1989 – 1992 – 94 Episódios)

Pra terminar, outro clássico dos anos 80. E acredito que Beetlejuice entre na mesma categoria do desenho do Máskara. Acredito que seja do grupo Warner, vinda dos tempos de Hanna-Barbera, não? Nunca mais vi qualquer reprise dessa série na TV, o que é uma pena, pois quando criança achava ela bizarra e diferente. Será que hoje em dia ela não seria ainda mais divertida?

E assim eu termino essa pequena lista. E digo pequena porque certamente se fosse enumerar todos os meus clássicos de infância, com certeza ultrapassaria mais de 200 desenhos animados. Deixei muita coisa de fora da lista que talvez fossem até melhor do que alguns citados com certeza. Mas tentei fugir mesmo das animações do Grubo Warner, Hanna-Barbera e Cartoon Network porque sabemos que a Netflix não tem contrato com estes e que é muito mais fácil ao serviço adquirir certos clássicos de estúdios na qual ela já tem contrato do que correr atrás de quem ela ainda não consegue negociar algo.

Vale ressaltar mais uma vez que também entendo que muitas vezes não tem como colocar certas antiguidades no sistema por falta de vídeos com qualidade, os áudios com as dublagens clássicas, séries que não foram dubladas por completo e por aí vai. São muitos fatores é claro, mas ainda assim eu acredito que os serviço deveria fazer um esforço maior para ao menos colocar um série animada por mês no ar.

Outro contraponto é que já vi a Netflix falando que o brasileiro ainda não entendeu o serviço, porém as vezes tenho a sensação de que a Netfliz também ainda não entendeu o brasileiro. Filmes novos, séries aclamadas pela críticas são legais? Claro que são, mas uma das coisas que mais acho legal do serviço é o acervo histórico que posso encontrar. São as raridades em si e não o que é pop hoje em dia. Bacana ver Jogos Vorazes no catálogo? É sensacional, mas muito mais seria ver um Querida Encolhi as Crianças por exemplo. Um clássico da Disney que raramente passa na TV, que não foi lançado em DVD no Brasil. Outro exemplo foi com o filme que acabou de sair no cinema chamado O Legado Bourne. A Netflix teria ganhado muitos pontos comigo se tivesse disponibilizado a trilogia clássica de Bourne, mas não rolou. Muitas vezes é o conteúdo antigo tem muito mais valor do que o conteúdo novo. Claro que não dá pra ficar só com velharias, mas é preciso saber equilibrar. Fechou contrato com a Fox e disponibilizou 24 Horas e Prison Break, séries que quase todo mundo já assistiu, enquanto que Arquivo X que é mais clássico e seria melhor visto por uma nova geração ficou pra 2013. E nada de se confirmer se teremos futuramente séries como Buffy e Firefly. Então é complicado, o público pode sim estar tendo uma má ideia do Netflix até hoje, mas o próprio serviço ainda se mostra meio perdido em certos departamentos.

E fico por aqui, na esperança que alguém da Netflix reflita sobre as ponderações daqui. E mais pra frente vou falar do que ficou de fora e merece uma reflexão a parte: a área de animês do serviço e dos clássicos da TV brasileira que deveriam estar nele. Deixem seus comentários e diga quais desenhos clássicos vocês gostaria de ver na Netflix!

obs: a ilustração que abre a postagem é lá do DeviantArt, feita por Danilee3240.

Isso também pode lhe interessar

44 Comentários

  1. Muito boa esta lista, o netflix promete que vai lançar mais conteúdo mas até agora… , no quesito anime tem bem poucos, fico no aguardo, já que gosto da forma como o netflix funciona. Ótima matéria parabéns.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.